A minha missão é ajudar as mulheres Negras a passar pela Transição Capilar e assumir os seus Cabelos Naturais.

Jacinta Viana

Olá, eu sou a Jacinta Viana

Tenho 35 anos, nasci em Portugal mas sou descendente de pais Caboverdianos.

Desde pequena que me lembro de ter alguma dificuldade em aceitar o meu cabelo, por ouvir muitas vezes as pessoas ao meu redor dizerem que o meu cabelo não era bom, que eu tinha “cabelo Bedjo”.

Por esse motivo sempre foi um sonho para mim poder alisar os meus fios para me sentir igual às minhas colegas da escola, mas a minha mãe até à idade adulta nunca me deixou, pois advertia-me sempre que ao alisar os meus fios iria estragá-los devido aos componentes fortes que existem nesses produtos de alisamento.

Eu cresci e vivi a minha infância a rejeitar o meu cabelo que me define que faz parte das minhas raízes e das minhas descendências.

Quando completei 18 anos uma das primeiras coisas que me lembro fazer foi alisar os meus fios, apesar das advertências da minha mãe, mal sabia eu o mal que estava a fazer aos meus fios.

Quando saí do cabeleireiro fui imediatamente à loja de fotografias para tirar umas fotos e para aquela “conquista” ficar marcada para sempre na minha vida.

Passei 12 anos da minha vida a alisar os meus fios de 3 em 3 meses, sim porque assim que a raiz começa-se a crescer e ficar alta eu já ia logo alisar novamente.

Lembro-me que dia 12 de Julho de 2014 estava a passar férias na casa da minha irmã Lúcia em Inglaterra quando alisei os meus fios pela última vez. Sim foi a última vez que coloquei química alisante nos meus fios.

Setembro de 2014 quando deveria voltar a alisar os fios eu decidi NÃO ALISAR MAIS OS FIOS E NÃO VIVER MAIS ESCRAVA DE TÉCNICAS QUE MUDASSEM A ESTRUTURA NATURAL DOS MEUS FIOS.

,,Eu lembrava-me vagamente como era o meu cabelo, mas não tinha a noção da sua textura do toque. 12 anos roubaram as memórias de um cabelo que me pertencia.

ASSUMIR O MEU CABELO NATURAL FOI UMA ATITUDE BEM PENSADA E PONDERADA.

Com 30 anos eu sabia que teria de ser eu a cuidar dos meus fios e que já não teria a ajuda da minha mãe para me pentear todos os dias como ela amavelmente fazia na minha infância.

Foi aí que procurei ajuda no YouTube. Encontrei alguns vídeos de mulheres cacheadas e somente uma crespa tipo 4c que também se encontrava em Transição Capilar.

Confesso que aproveitei algumas dicas que via no YouTube, mas naquele momento eu percebi que tinha de descobrir o meu cabelo sozinha, que tinha de experimentar várias técnicas, alguns produtos que já existiam no mercado para poder cuidar dos meus fios e deixá-los fortes e saudáveis.

Quando comecei a conseguir cuidar dos meus fios e ter resultados satisfatórios, resolvi criar um Blog e um canal no YouTube para poder partilhar com outras raparigas e mulheres de cabelo crespo tipo 4 tudo aquilo que aprendi e que de alguma forma poderia ajudá-las a passar pela Transição Capilar e assumir os seus Cabelos Naturais.

E hoje aqui estou eu a criar a Beleza Crioula Academy com o intuito de continuar a ajudar Mulheres Negras a passar pela Transição Capilar e assumir os seus Cabelos Naturais.

Jornada da Transição Capilar

Passar por este processo não é tarefa fácil, não se trata única e simplesmente parar de alisar os fios e assumir os seus cabelos naturais.

É sim uma libertação de crenças limitantes a que estivemos impostas por vários anos de nossas vidas, é o podermos nos sentir bem connosco mesma e elevarmos a nossa autoestima.

Por isso, Mulheres Negras não se reprimam, não tenham medo de assumir o vosso Cabelo Natural.

O Beleza Crioula Academy está aqui para vos auxilar no que for preciso.

PRONTA PARA ASSUMIR OS SEUS CABELOS NATURAIS?